30 Julho 2019 - A nutrição e o seu conhecimento – o caso dos sumos de fruta 100%

A redução do risco de doença está cada vez mais ligada a intervenções positivas no estilo de vida, com a nutrição enquanto elemento central. No entanto, a nutrição é muito mais do que os temas sobr eo açúcar, gordura e calorias, uma vez que uma grande variedade de alimentos e bebidas são ricas fontes de vitaminas, minerais e compostos bioativos, como os polifenóis, que comprovadamente influenciam a nossa saúde. Embora os profissionais de saúde tenham um bom conhecimento sobre nutrição básica, muitas vezes há lacunas de conhecimento sobre alimentos específicos, como são os sumos de frutas 100%. Um estudo pan-europeu (1) conduzido em 2018 a 2019 examinou o conhecimento acerca do sumo de fruta 100% entre uma amostra representativa de profissionais de saúde europeus. Os resultados revelaram alguns mal-entendidos sobre o valor nutricional dos sumos de frutas e o impacto do processamento no conteúdo vitamínico: uma visão que entra em conflito com as evidências científicas. Aqui, olhamos para cinco fatos, tendo por base o sumo de laranja 100% como estudo de caso.

1. “Sumo 100%” significa que nada mais é adicionado 

Os sumos de fruta 100% são sumos de fruta espremida, obtidos a partir da extração do sumo da fruta, sem qualquer adição de açúcar ou conservantes, tal como determina a regulamentação europeia (2,3). Os sumos de fruta 100% são apenas fruta e nada mais, com uma composição nutricional e energética muito semelhante à fruta que lhe dá origem. Assim, por exemplo, quando um rótulo indica “Sumo de laranja 100%”, apenas sumo de laranja puro feito de laranjas inteiras se encontrará dentro da embalagem. As vitaminas, os minerais, o teor de água e os açúcares naturais refletirão o que havia nas frutas originais usadas para fazer o sumo. 

Fruitjuicematters

2. Sumo de laranja 100% é rico em polifenóis 

O sumo de laranja 100% é conhecido pelo seu teor em vitamina C, mas ainda há algum desconhecimento sobre o facto de ser uma das fontes mais ricas de hesperidina, um polifenol da subclasse flavanonas. Estudos mostram que a hesperidina apresenta características antiinflamatórias (4) e pode ter um impacto positivo na função microvascular humana (elasticidade e tonicidade dos vasos sanguíneos) (5). Em média, um copo pequeno (150 ml) de sumo de laranja 100% fornece 67,5 mg de vitamina C, mais de 80% do Valor de Referência do Nutriente (VRN), a quantidade diária recomendada para manter um bom estado de saúde geral (Figura 1). Uma porção também fornece 16% do VRN de folato e 13% de potássio. 

3. A pasteurização e o armazenamento dos sumos de laranja 100% não destroem os nutrientes 

A vitamina C é propensa à degradação pelo oxigénio e esta reação desfavorável é acelerada pelo calor. No entanto, os produtores tentam limitar a exposição e a entrada de oxigénio nos sumos para minimizar a degradação da vitamina C durante a pasteurização, com a utilização de nitrogénio, um gás inócuo, que evita a proliferação microbiológica. Um estudo conduzido pela AMC Juices & AMC Innova (7) sugere que os níveis de vitamina C no sumo de laranja 100% permanecem acima do limite legal de 12 mg/100 ml podendo afirmar-se que é “rico em” (8), mesmo após uma refrigeração durante 56 dias. Noutros estudos, verificou-se ainda que o sumo de laranja 100% contém 20 mg de vitamina C por 100 ml durante quase 10 meses quando armazenado a 4°C (9) o mesmo se aplica ao sumo de laranja 100% armazenado à temperatura ambiente (18-20 ° C) até 6 meses (10). Em ambos casos, os níveis estão acima do exigido por lei para a utilização da alegação “rico em”. 

Fruitjuicematters

4. O sumo de laranja 100% contém três nutrientes que contribuem para uma estabilização da saúde 

O sumo de laranja 100% contém vitamina C, folato e potássio (≥ 15,0% VRN por 100 ml) permitindo que as alegações nutricionais sejam feitas na embalagem junto dos consumidores. Cada um desses nutrientes tem um conjunto de alegações de saúde autorizadas pelas entidades europeias (11), conforme tabela seguinte: 

5. Sumo de fruta 100% não causa cancro 

Estudos observacionais - onde os investigadores analisam centenas de fatores em vastos grupos de pessoas e tentam conectá-los estatisticamente - muitas vezes chegam aos meios de comunicação social distorcidos da realidade. Por outro lado, estudos recentes – ensaios clínicos randomizados e meta-análises – têm vindo a confirmar que os sumos de fruta 100% apresentam efeitos positivos e/ou neutros em relação à obesidade, controlo glicémico, valor nutricional e não contribui para fatores de risco de desenvolvimento de cancro . Isto faz sentido, dado que um copo diário de sumo de laranja 100% fornece apenas 3% das calorias recomendadas, representando portanto uma proporção muito pequena da nossa dieta habitual. 

1 Ruxton C (2018) What do Europe’s health professionals think about fruit juice? CN Focus 10: 36-38. 

2 https://aijn.eu/en/publications/key-eu-legislation/the-eu-fruit-juice-directive 

3 European Parliament and of the Council (2012) Fruit juice directive. http://eurlex.europa.eu/LexUriServ/LexUriServ.do?uri=OJ:L:2012:115:0001:0011:EN:PDF 

4 Rocha DMUP et al. (2017) Orange juice modulates proinflammatory cytokines after high-fat saturated meal consumption. Food Funct 8: 4396-4403. 

5 Morand C et al. (2011) Hesperidin contributes to the vascular protective effects of orange juice: a randomized crossover study in healthy volunteers. Am J Clin Nutr 93: 73–80. 

6 Ringblom U (ed.) (2017) The Orange Book. Tetra Pak: Lund. 

7 Kindly provided by Dr Mari Cruz Arcas, AMC, Murcia, Spain. 

8 Annex XIII of EU Regulation 1169/201 https://eur-lex.europa.eu/legal-content/ EN/ALL/?uri=CELEX%3A32011R1169 

9 Ros-Chumillas M et al (2007). Quality and shelf life of orange juice aseptically packaged in PET bottles. J Food Eng 79: 234-242. 

10 Klimczak I et al. (2007) Effect of storage on the content of polyphenols, vitamin C and the antioxidant activity of orange juices. J Food Compos Anal 20: 313-322. 

11 http://ec.europa.eu/food/safety/labelling_nutrition/claims/register/ public/?event=register.home 

12 Murphy MM et al. (2017) Fruit juice and measures of glucose control and insulin sensitivity: a systematic review and meta-analysis of randomised controlled trials. J Nutr Sci 6: e59. 

13 Auerbach BJ et al. (2017) Fruit juice and change in BMI: a meta-analysis. Pediatrics 139: pii e20162454.