Estudos sobre o impacto da ingestão de sumos de frutas na inflamação

A inflamação é um indicador de stress e acredita-se que influencia a fisiopatologia da diabetes, resistência à insulina e doença cardiovascular. Recentemente, um estudo experimental realizado no Brasil avaliou o impacto de duas refeições com alto teor em gordura em marcadores inflamatórios quando servidos com água ou com sumo de laranja (uma fonte de nutrientes antioxidantes).

O estudo randomizado cruzado, no qual participaram 55 mulheres saudáveis, submeteu metade desta amostra a uma refeição rica em ácidos gordos saturados (SFA; 37,6% de energia), enquanto a outra metade recebeu uma refeição rica em ácidos gordos monoinsaturados (MUFA; 56,3% de energia). As mulheres também beberam 500 ml de sumo de laranja (teste) ou água (controlo) com a refeição.

Os resultados mostraram que uma alta ingestão de gordura saturada promoveu inflamação quando comparada com uma refeição rica em ácidos gordos monoinsaturados, mas o impacto negativo dos ácidos gordos saturados foi mitigado pelo sumo de laranja em certos biomarcadores inflamatórios, particularmente a IL-17A.

Noutra pesquisa, um pequeno estudo laboratorial em 12 indivíduos saudáveis descobriu que uma refeição rica em gordura e rica em hidratos de carbono impulsionava as vias inflamatórias quando consumida com água ou com uma bebida de glicose. Em contraste, este efeito foi suprimido quando a refeição foi acompanhada com sumo de laranja. Os investigadores chegaram à conclusão que o sumo de laranja suprime a inflamação induzida pela alimentação, inibindo a expressão de recetores Toll e a endotoxemia. A ingestão de sumo de laranja foi associada a um aumento de 28 vezes da proteína da leucemia promielocítica (PML), que se acredita ter um papel positivo no organismo.

Os autores desses estudos concluíram que beber sumo de laranja pode ajudar a combater a inflamação induzida pela alimentação, bem como regular a expressão de proteínas-chave, como a PML, envolvida na saúde humana. São agora necessários ensaios clínicos de maior dimensão para confirmar os resultados.

Título de Artigo

[1] Rocha DMUP et al. (2017)

Orange juice modulates proinflammatory cytokines after high-fat saturated meal consumption. Food Funct 8(12): 4396-4403

[2] Chaves DFS et al. (2017)

Proteomic Analysis of Peripheral Blood Mononuclear Cells after a High-Fat, High-Carbohydrate Meal with Orange Juice. J Proteome Res 16(11):4086-4092